[ACS] UERJ: CONSTRUIR A RESISTÊNCIA PELA BASE!

Por ACS filiada ao FOB

fecharua

Terceirizados da UERJ se mobilizam pelo pagamento de seus salários.

d22i7n7txcjsbkrcf22inh2w5

O ano de 2015 mal começou e os governos federal, estadual e municipal colocaram a tona a crise fiscal que tentaram de todas as formas esconder até que se passasse o período das eleições. Terminado esse momento, uma série de medidas restritivas e aumento de tarifas foram postos em prática. A ordem do dia para PT/PCdoB e PMDB é garantir o lucro dos patrões, dos grandes bancos e dos grandes fazendeiros. Para isso, esses partidos que gerenciam os negócios das grandes empresas, escolheram um alvo: Nós, trabalhadores.

A UERJ não está descolada dessa realidade. Já no início do ano diversas medidas foram tomadas para “conter gastos” e todas elas tinham como endereço o bolso dos servidores técnicos e docentes, dos contratados e terceirizados e dos estudantes. Os terceirizados por terem uma relação de trabalho extremamente flexível com a Universidade e com a empresa “Construir” sofrem com os constantes atrasos de salário e do pagamento de benefícios. Os contratados ficaram praticamente o mês de janeiro inteiro sem receber seus salários e os estudantes conviveram com os atrasos nas bolsas. Para os servidores técnicos o arrocho também veio forte. O valor da refeição no bandejão subiu de R$ 5,00 para R$10,00, o Estado não pagou o 1/3 de férias dos servidores que tiraram em janeiro e, pra completar, não pagará o vale refeição para o servidor que tirar férias a partir desse ano. Vários setores da UERJ já se encontram sem dinheiro e até economia de café está sendo feita, visto que a votação do orçamento para 2015 já se arrasta a semanas. Todas essas medidas já doem no nosso bolso logo no início do ano! Além disso, há anos não temos reajuste salarial e nosso plano de carreira não valoriza e nem incentiva a qualificação, visto que não há aumento no vencimento base para servidores que fizeram alguma pós-graduação.

Enquanto o salário real diminui, ou não é pago, os valores dos alimentos, das tarifas de luz, de água, de transporte e dos aluguéis só aumentam, bem como dos impostos. Pra completar o governo federal e Estadual cortam o orçamento da educação e no caso do primeiro ainda propõe medidas restritivas que retiram dinheiro dos aposentados, pensionistas e desempregados, numa segunda reforma da previdência. Todos esses ataques fazem parte de uma conjuntura na qual todos nós que trabalhamos na UERJ estamos inseridos. No entanto, o Sintuperj permanece imóvel perante essas questões. Não há nenhuma campanha de sindicalização, as assembleias da categoria não são divulgadas e quando acontecem são apenas pra sindicalizados. Não há informação, nem tampouco mobilização por parte do sindicato da categoria para barrar esses absurdos que estão sendo impostos para a nossa categoria.

CONSTRUIR UM ESPAÇO COMBATIVO DE LUTA NA CATEGORA E O COMITÊ DE MOBILIZAÇÃO NA UERJ

É muito evidente que esses abusos contra os trabalhadores e estudantes da UERJ só serão barrados com organização e muita mobilização. Por isso, é fundamental romper com o imobilismo do sindicato, mais preocupado em garantir a carta sindical e se atrelar cada vez mais ao Estado do que com as demandas imediatas da categoria, e construir um espaço combativo e classista de organização e luta. Os terceirizados, a exemplos dos Garis, já demostraram como se faz. Nós da Ação Classista Sindical (ACS – UERJ/FOB) pretendemos iniciar a construção desse espaço e convidamos todos os servidores a construírem coletivamente. Entendemos que só através de um sindicalismo combativo e de luta que será possível obter conquistas reais para a categoria. E como primeiro sinal da nossa organização, propomos a criação de um comitê de mobilização da UERJ formado por delegados de base. Como a crise econômica afeta a UERJ como um todo é de suma importância unificar as lutas dos docentes, técnicos universitários, assistentes administrativos, contratados, terceirizados e estudantes em torno das pautas em comum e mobilizar ainda mais a Universidade. É com a organização coletiva e a luta combativa que a UERJ se pintará de povo e será, enfim, dos trabalhadores!

IR AO COMBATE SEM TEMER! OUSAR LUTAR, OUSAR VENCER!

http://www.lutafob.wordpress.com

Panfleto em PDF

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s