[RECC-GO] Repressão em Goiás: seguimos resistindo. O Caldeirão Ferve!!!

por Oposição CCA – Classista, Combativa e Autônoma ao DCE da UFG, seção Goiânia (Filiada à RECC/FOB)

A luta pela educação

Desde o meio do ano de 2015 em Goiás, vem-se desenrolando uma luta em defesa da educação pública. O governador Marconi Perillo (PSDB) manifestou interesse de repassar a administração de escolas públicas as  organizações sociais e algumas escolas para a polícia militar poder gerir, atitudes que não resolveria e nem resolverá em nada os atuais problemas enfrentados pela educação pública. Frente a esses ataques secundaristas,professores da rede pública, estudantes e professores universitários e apoiadores se organizaram para resistir. Os métodos de resistência escolhidos variaram desde tentativas de diálogo com o governo até ocupações de escolas e prédio administrativo do Estado (Secretaria de Educação Cultura e Esporte-SEDUCE). Para tentar acabar com o movimento de resistência o governador utilizou de duas táticas: Uma criminosa, que foi o rompimento do duto de gás de uma escola feito por um possível policial a paisana (P2), a outra legal, mas não menos nociva, colocando a PM para fazer terror psicológico nas escolas ocupadas e alem disso, notando que mesmo com o terror planejado os estudantes não arregariam, a mando do governador policias do seviço de inteligência da PM invadiram algumas escolas expulsando os alunos, a maioria menor de idade, de dentro da escola na base da porrada. Um fato mais recente da truculência exercida pelo estado contra aqueles que lutam foi a desocupação da SEDUCE no dia 15 de fevereiro , que foi feita de maneira teatral pelas tropas de elite da PM (BOPE,GRAER e CHOQUE) com direito a discurso hipócrita de tenente coronel do choque no momento da prisão. Na desocupação 31 pessoas foram presas, desde secundaristas menores de idade ate um professor doutor da Universidade Federal de Goiás (UFG).

A luta pelo transporte

Nesse ano os empresários do transporte aliados a prefeitura (PT) utilizaram da mesma manobra do ano passado de aumentar o valor da tarifa no sábado de carnaval  para evitar qualquer forma de resistência imediata. Não foi imediata, mas a resistência ocorreu.Foi construído um ato no dia 12 de fevereiro, onde a juventude foi as ruas e mostrou o calor da sua revolta passando a mensagem de que não aceitariam outro aumento absurdo.Outro ato foi chamado pela Frente de Luta no dia 17 de fevereiro, a manifestação cobrava a revogação do aumento da tarifa e repudiava a prisão de 31 pessoas na desocupação da SEDUCE e mostrava sua solidariedade para com os presos, mais uma vez a policia militar agiu com violência, uma adolescente foi arrastada teve sua  roupa rasgada e foi espancada por diversos policiais militares,as pessoas que participavam do protesto perceberam e tentaram impedir que a violência continuasse , ao decorrer dessa ação a PM fez um cerco ao ato e prendeu 16 pessoas onde um menor de idade ainda se encontra preso , curioso notar que Wendel ,o jovem estudante que se encontra preso, é morador da periferia de Goiânia e novamente o judiciário goiano nos mostra o seu caráter de classe perseguindo pobre que ousa lutar . Já faz um tempo que sabemos que a polícia protege os interesses dos ricos, dos patrões, dentre as variás experiências  existentes está a operação 2,80 que teve inicio pelo descontentamento dos grandes empresários do transporte público com as manifestações espotâneas nos terminais de ônibus , vale lembrar também que toda operação foi baseada em relatos e fotos de seguranças privados das empresas de ônibus. Nos esclarece bastante a ligação que há entre as empresas do transporte público com o Estado quando as 31 pessoas presas na desocupação da SEDUCE foram encaminhadas a delegacia por um ônibus cedido pela RMTC.

Da insatisfação a resistência

Diante de todo esse cenário de repressão a nossa defesa, a defesa dos oprimidos, é a resistência e a solidariedade. Precisamos continuar resistindo, mesmo perante as prisões arbitrárias, e expandir nossa resistência massificando-a, quanto maior a resistência e mais avançada as formas de resistir mais próximos estaremos da vitória. Precisamos mais do que nunca mobilizar aqueles que estão desmobilizados, somar á nossa luta todos aqueles que moram em nosso bairro, todos aqueles que estudam ou trabalham com a gente. Juntos somos capazes de coisas maravilhosas e temos a força de enfrentar qualquer ataque contra nossa classe , que é a classe dos trabalhadores,dos oprimidos, enfim, dos pobres.

Resistiremos!
Avançar no trabalho de base para alcançarmos a vitória!
Não tem arrego!  
Liberdade a Wendel!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s