[SP] Avançar, parar o Brasil a partir do dia 14/06!

Por Pró FOB – SP A greve e os atos em defesa da educação no dia 15/05 mostrou que há força e disposição para fazer o governo Bolsonaro/Mourão recuar nos cortes e outros ataques contra a educação. Mas, para forçar um recuo é necessário ampliar e radicalizar a luta pela educação e também contra a reforma da previdência, voltando a paralisar e para as ruas … Continuar lendo [SP] Avançar, parar o Brasil a partir do dia 14/06!

[SP] OCUPAR A FORD!!!

Por Pró-Núcleo SP A decisão da Ford de fechar a fábrica em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, em novembro de 2019 é para manter e aumentar o seu lucro reduzindo custos. Já é conhecida a prática de em momento de crise e reorganização, a indústria automobilística atacar direitos, reduzir salários, fazer demissões e fechar fábricas, esse é o caso da Ford, que agora … Continuar lendo [SP] OCUPAR A FORD!!!

[CP-RECC/SP] DEBATE: “O Papel do Movimento Estudantil Frente ao Conservadorismo”

Por CP-RECC O Comitê de Propaganda da Rede Estudantil Classista e Combativa de São Paulo (RECC), a Federação das Organizações Sindicalistas Revolucionárias do Brasil (FOB) e o Movimento Estudantil Insurreição Popular (MEIP) convida a todos/as para uma atividade aberta de discussão sobre o avanço do conservadorismo no Brasil e a fundamental resistência do movimento estudantil frente a este cenário político atual. Pretendemos avançar no debate … Continuar lendo [CP-RECC/SP] DEBATE: “O Papel do Movimento Estudantil Frente ao Conservadorismo”

POR UMA ASSOCIAÇÃO DE TRABALHADORES REVOLUCIONÁRIA!

A FOB compartilha com entusiasmo o documento produzido por um grupo de trabalhadores e estudantes do estado de São Paulo que solicitam a filiação em nossa Federação. Desde já a FOB está disposta a iniciar este diálogo para a construção do Sindicalismo Revolucionário em SP e no Brasil. Nesse sentido, convocamos todos @s trabalhadores do campo e da cidade de nosso país, a se somar … Continuar lendo POR UMA ASSOCIAÇÃO DE TRABALHADORES REVOLUCIONÁRIA!

[SP] NOTA DE REPÚDIO CONTRA AS 35 SINDICÂNCIAS NA UNESP DE MARÍLIA

Comunicado nº2 da Ação Direta Estudantil (ADE) – Filiada a RECC/FOB Na noite de ontem (05/07/17), 35 militantes ativos da esfera política do M.E. de Marília, entre estudantes regulares de graduação e pós-graduação, foram notificados, através de um e-mail institucional, sobre uma reunião com a Direção da FFC nesta tarde (06/07/2017). O corpo da mensagem não descriminava o motivo do chamado encontro, ao se fazerem presentes, nossos companheiros … Continuar lendo [SP] NOTA DE REPÚDIO CONTRA AS 35 SINDICÂNCIAS NA UNESP DE MARÍLIA

[RECC- SP] BARRICADA ESTUDANTIL Nº2 – Dizimar o fascismo e o liberalismo, enterrar a vanguarda: as saídas classistas para o Movimento Estudantil.

“Todas as oposições afiliadas ao Fórum de Oposições Pela Base (FOB), em qualquer estado desse país defendem com coerência a mesma política. Sempre estamos dispostos a discutir qualquer polêmica com as demais correntes do movimento sem sectarismo. Olho no olho, assumindo publica e honestamente nossas posições. E principalmente respeitando as divergências e debatendo com aqueles/as que tenham essa mesma conduta.” ORC/FOB (setembro/2016) Políticas de corredor: … Continuar lendo [RECC- SP] BARRICADA ESTUDANTIL Nº2 – Dizimar o fascismo e o liberalismo, enterrar a vanguarda: as saídas classistas para o Movimento Estudantil.

[RECC- SP] BARRICADA ESTUDANTIL Nº1 – Superar o sectarismo, organizar a luta, preparar a resistência: a greve nas Estaduais frente aos cortes e a impotência reformista.

”Num movimento onde as críticas são sempre mal recebidas e se prefere viver sem elas, estão comprometidos os alicerces de uma verdadeira democracia de base e, consequentemente, o ME fica desprovido do exercício da crítica, tão fundamental para encaminhar a luta. As consequências dessa atitude são danosas para o ME, criando um ambiente amorfo, carente de debate político e desprovido de senso crítico.” A permanência … Continuar lendo [RECC- SP] BARRICADA ESTUDANTIL Nº1 – Superar o sectarismo, organizar a luta, preparar a resistência: a greve nas Estaduais frente aos cortes e a impotência reformista.

[RECC] NÃO VAI TER SARESP!

       Nos dias 24 e 25 de novembro ocorre a aplicação do SARESP – Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo – uma prova realizada por alguns anos do ensino fundamental e médio das escolas estaduais paulistas. Trata-se de uma ferramenta de avaliação do desempenho das escolas e estudantes da rede estadual, cujos resultados são transformados em índices que estabelecem metas … Continuar lendo [RECC] NÃO VAI TER SARESP!

[RECC] RECC cresce em Marília-SP com o grupo Ação Direta Estudantil (ADE).

Este documento tem por finalidade publicizar a fundação da Ação Direta Estudantil – núcleo Marília (ADE – UNESP/Marília), bem como solicitar filiação à Rede Estudantil Classista e Combativa (RECC), integrante do Fórum de Oposições pela Base (FOB).

Nosso coletivo surge em um contexto em que o Movimento Estudantil, tanto  local quanto  nacionalmente, se encontra fragilizado e imobilizado devido aos modelos  de atuação política hoje hegemônicos, cujas características apontam, por um lado, para o parlamentarismo e o colaboracionismo das entidades oficiais  (UNE  e cada vez mais reproduzido pela ANEL) e, por outro, para a dispersão e o imediatismo das tendências autonomistas, fortemente influenciadas pelos paradigmas pós-modernos de culturalização da política. Diante dessas formas degeneradas, a estudantada se vê carente de formas organizacionais democráticas e de métodos de luta coerentes e efetivos para o atendimento das demandas da classe trabalhadora.

Nós, estudantes, compomos uma categoria social transitória, pois inseridos nas instituições de ensino, estamos sendo preparados para nossa futura inserção no mundo do trabalho. O sistema educacional brasileiro reproduz as contradições sociais, formando tanto os próximos gestores da exploração do trabalho quanto a mão de obra pouco qualificada que vende sua força para a manutenção do sistema. Expresso que a educação brasileira é marcada pela contradição entre as classes, a luta estudantil não deve ser encarada em separado do conjunto da classe.

O empenho na construção de uma alternativa de luta no interior do ME da UNESP já existe há alguns anos, através da construção do Comitê de Propaganda (CP) da RECC. A Ação Direta Estudantil (ADE-UNESP) surge em um contexto desafiador: organizar a estudantada contra a ofensiva neoliberal contra a educação – que avança a passos largos – orquestrada pela gestão PSDB no governo de São Paulo em uma Universidade pulverizada, distribuída por 25 cidades em todo o estado.

Nesse período, vivenciamos alguns processos que nos permitiram acumular experiências e lições que proporcionaram amadurecimento político e a convicção na defesa de princípios que encontram sua resolução programática na linha da RECC/FOB. São eles:

Classismo: Compreendemos que o capitalismo organiza a sociedade entre aqueles que detêm meios de produção e vivem da exploração do trabalho alheio: burguesia, e aqueles que precisam vender sua força de trabalho para sobreviver, muitas vezes não podendo sequer fazê-lo, se encontram em situação de extrema marginalidade: classe trabalhadora. Portanto, a contradição burguesia e proletariado é o elemento fundamental da luta por melhores condições de existência, cujos protagonistas são os que tem a necessidade vital da mudança e da justiça. Apenas a classe trabalhadora tem o potencial de transformar a estrutura social. Continuar lendo “[RECC] RECC cresce em Marília-SP com o grupo Ação Direta Estudantil (ADE).”