[RECC-RJ] Boicotar as Eleições do DCE da Rural é Optar por Um Novo Caminho

Comunicado da OCCI-UFRRJ. Setembro de 2016.

Velhas Portas Não Abrem Novos Caminhos!
Boicotar as Eleições de DCE é optar por um novo ca­minho no Movimento Estudantil da UFRRJ e repudiar o oportunismo!

Nós, estudantes da UFRRJ, já estamos acostumados e acostumadas a viver sob a in­constância da Rural no que diz respeito a nossa segurança e condições de permanência na Uni­versidade. Atraso de bolsas; corte de gastos que comprometem pesquisas; carência de concurso para professores; sucateamento de salas, pré­dios e equipamentos; e especialmente a segu­rança no campus Seropédica e a violência contra as mulheres, visibilizada recentemente pelo mo­vimento “Me Avise Quando Chegar”. Em todos estes casos se faz notória a omissão dos repre­sentantes do DCE, eleitos nas últimas eleições. Isso ocorre devido a burocracia e oportunismo que existe no Movimento Estudantil, onde gru­pos como UJS (PCdoB), Levante (Consulta Popu­lar/PT), UJC (PCB) e PSOL disputam as eleições do DCE apenas para ter o aparelho, a máquina burocrática em suas mãos e se dizer represen­tante dos estudantes, além de fazer campanha eleitoral para seus partidos, desmobilizando a luta dos estudantes em prol de seus partidos.

A representação estudantil, na teoria, deve estar atenta e ao serviço das demandas dos e das estudantes, organizando e lutando junto a estes por uma Universidade que cuide e atenda suas necessidades, um espaço feito pelo povo e para o povo. Mas, assim como na de­mocracia burguesa, o que vemos entre nós são chapas usurpadoras das pautas estudantis que se utilizam destas para autopromoção, concha­vos políticos com reitoria e direções, além de projeção política em partidos aliados a estas for­ças parasitas dentro do Movimento Estudantil. A falta de diálogo com a base e a ausência de debates entre as chapas nos levam a conclusão que o parlamentarismo estudantil não passa de uma transposição da farsa eleitoral para dentro da comunidade acadêmica.

boicote-dce

Infelizmente, observamos a cada ano o desinteresse dos estudantes pelas ações dos Centros Acadêmicos e Diretório Central, um re­flexo da crescente insatisfação com a política oportunista e eleitoreira nestes espaços. Há os que ainda, de boa fé, depositam esperança nas eleições, de que será possível uma boa gestão administrada por partidos e pessoas com um discurso “de esquerda”, como o caso de estu­dantes independentes. No entanto, é um erro imediatista reduzir ou priorizar nossas ações à conquista de votos por chapas que logo se de­sunem e geram refluxo geral. Esta prática deve ser revista e dar lugar à luta pela união do movi­mento estudantil pela base, democrático, forte e atuante. É através da mobilização dos estudan­tes, em cada sala de aula e moradia estudan­til, que daremos um passo na conquista de nos­sos direitos. Realidade que só será conquistada através da aliança entre os movimentos estu­dantil, sindical e popular, unindo a luta dos pro­fessores, terceirizados, técnicos e estudantes; e nos organizando em agrupamentos políticos, preferencialmente em coletivos combativos, não eleitoreiros e não governistas, com vista a reali­zação do Congresso Estudantil pela base, e não por forças políticas oportunistas, como a UJS, UJC, Levante e PSOL.

Para isso, nós da OCCI – Oposição Classis­ta Combativa e Independente ao DCE da UFRRJ chamamos todas e todos ao boicote às eleições e a organização pela base para uma luta efetiva e combativa à precarização da Universidade, ao ajuste fiscal, e a política neoliberal de Dilma e Temer.

“Sei que a luta será longa e árdua, mas acredito firmemente na força da atuação coletiva das massas.”
Honestino Guimarães

Acesse o txt em pdf: boicote-dce

[RECC-RJ] Lutar para estudar! Estudar para lutar!

Boletim nº 01 do Comitê de Propaganda da Rede Estudantil Classista e Combativa (RECC) na UFF – Setembro de 2016

O processo de precarização das Universidades Federais se intensificou através do Reuni (programa de expansão sem estrutura das universidades federais) nos primeiros anos do governo Lula (PT/PMDB) e continuou por meio dos recentes cortes de Dilma no orçamento da educação, cujo lema do governo era Pátria Educadora.

O sucateamento do ensino e da estrutura também atingiu a Universidade Federal Fluminense. O aumento dos números de cursos e de vagas não acompanhou às demandas necessárias para a acomodação dos novos estudantes. As bolsas-auxílios são restritas a um número pequeno de estudantes e a moradia estudantil sobrevive com poucos lugares, além da expulsão das estudantes em decorrência de gravidez. E ainda excluem as mães-estudantes, pois a creche oferecida pela universidade possui estrutura precária e limitada.

EST

A falta de um passe livre e um bandejão sem as mínimas condições de servir os alunos, com larvas na comida, falta de copos e profissionais terceirizados sem pagamentos deixam claro a política excludente, que prejudica os alunos pobres. Política essa executada pela Reitoria que reprime qualquer movimentação, do DCE (PT/PCdoB/UJS/UNE) da UFF, que pouco faz pelos alunos através da política de conciliação (defende os interesses da Reitoria) e os Diretórios Acadêmicos que são praticamente inoperantes, demonstrando a necessidade de reorganização de um movimento estudantil classista e combativo na UFF, independente de partidos políticos, governos e reitoria.

CONSTRUIR O MOVIMENTO ESTUDANTIL CLASSISTA, COMBATIVO E AUTÔNOMO NA UFF!
POR MAIS BOLSAS-AUXÍLIOS E MORADIA ESTUDANTIL!
POR CRECHES PÚBLICAS E GRATUITAS!
PELO PASSE LIVRE GERAL E IRRESTRITO!
ELEIÇÃO É FARSA! NÃO VOTE, LUTE! 

Análise da OCCI-UFRRJ sobre o ME na Rural e Conjuntura no Brasil

Análise da Oposição Classista, Combativa e Independente – OCCI/UFRRJ– sobre o Movimento Estudantil na Rural e a Conjuntura no Brasil

1) Combater o governismo é uma necessidade! Por um ME classista!

a) Por que o Movimento Estudantil deve ser independente?
b) Ação Direta como uma alternativa política.
c) Oposição ao DCE e a sua estrutura.
d) ME classista: Estudantes como fração da classe trabalhadora – Perfil do Estudante
e) Abaixo a UNE, governista, oficial, pelega e reformista!
f) Propostas e reivindicações antigovernistas. Luta pela democratização do Acesso.

PELA CONSTRUÇÃO DE UM ME CLASSISTA, COMBATIVO E INDEPENDENTE!

Leia nossa Análise Conjuntural clicando aqui: Análise Conjuntural – tese

mural_2-3

 

 

 

SE ESTUDAR É UM DIREITO, OCUPAR É UM DEVER!

No dia 06 de outubro de 2015 o governo do estado de São Paulo anunciou uma reorganização no sistema de ensino. De forma autocrática e centralizada o governador Alckmin (PSDB) decidiu pelo fechamento de dezenas de escolas em todo o estado. Não houve participação dos estudantes, professores, pais e comunidade nessa decisão arbitrária. Entendemos que essa atitude precarizará ainda mais a educação pública e prejudicará o ensino, com salas de aulas superlotadas. Desde então, diversas manifestações foram realizadas em várias partes da cidade e do estado de SP. O caráter combativo dos atos deu visibilidade e mostrou a força que os estudantes secundaristas possuem.SP

Diante da intransigência do governo em dialogar com a comunidade escolar, os estudantes resolveram essa semana, de forma justa e combativa, ocupar a Escola Estadual Fernão Dias. Apesar da forte repressão e violência sofrida por meio da Polícia Militar, os estudantes resistem na ocupação. Ao invés de diálogo, o governo oferece bombas de gás lacrimogêneo e spray de pimenta, pelo auxílio do braço armado do Estado – a polícia fascista.

Como reação a repressão, mais 8 escolas estaduais foram ocupadas em solidariedade e lutando pelas mesmas bandeiras: contra a reorganização e o fechamento das escolas em SP; por uma educação pública, gratuita, de qualidade, democrática e a serviço do povo. A cada dia aumenta o número de escolas que estão sendo ocupadas, demonstrando cada vez mais a força e união que os estudantes e professores possuem.

Nós, da OCCI-UFRRJ, filiada à Rede Estudantil Classista e Combativa (RECC), saudamos a todos os combativos estudantes que ousam ocupar as escolas em forma de protesto contra o governo autoritário de Alckmin, de forma independente e radical. É somente através da ação direta que os estudantes e trabalhadores obterão vitória frente ao Estado e o capital.

CONTRA A REORGANIZAÇÃO E O FECHAMENTO DE ESCOLAS PELO GOVERNO ALCKMIN (PSDB)!
CONTRA OS CORTES NA EDUCAÇÃO DE DILMA (PT-PMDB)!
IR AO COMBATE SEM TEMER! OUSAR LUTAR, OUSAR VENCER!